O SERTÃO VIRA UM MAR DE PELÍCULAS

03/11/2007 - 09h50min
ampliar O SERTÃO VIRA UM MAR DE PELÍCULAS O SERTÃO VIRA UM MAR DE PELÍCULAS

A 11° edição do Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões será uma imersão no imaginário atual do Cinema Brasileiro, e trará as mais belas imagens produzidas pelos cineastas que se comprometem em modernizar o fazer cinematográfico. O público terá a oportunidade de ver o Longa-metragem Em 97 Era Assim, do Rio Grande do Sul, do diretor Zeca Brito, quando em noventa e sete quatro amigos iniciam um tempo de descobertas e vivem o auge da adolescência, seus hormônios começam a falar mais alto e se deparam com as primeiras dúvidas e anseios da juventude.
   
Outro que retrata bem o panorama de uma época é o documentário Ridículos, da Bahia, dos diretores Paula Lice, Rodrigo Luna e Ronei Jorge, onde quatro dos principais palhaços de Salvador voltam ao lugar em que foram 15 anos antes para conduzir um processo de iniciação de um novo palhaço.
   
Mas as inovações só estarão começando, pois os longas Por Trás do Céu, do diretor Caio Soh, de São Paulo, e, Deserto, do diretor Guilherme Weber, do Rio de Janeiro, avançam em um novo olhar. Por Trás do Céu se passa em um lugar esquecido por Deus, assolado pela pobreza e pela falta das mínimas condições básicas. Nesse lugar, a vida brota diariamente a partir dos sonhos de Aparecida, mulher forte, simples e com grande fascinação pelo saber. Enquanto Deserto é uma alegoria do mundo e da condição humana contada através da fábula da construção de uma nova sociedade por artistas no meio do deserto brasileiro.
   
Além do longa Clarisse ou Alguma Coisa Sobre nós Dois, do Ceará, direção de Petrus Cariry, que diz: A árida pedreira e a floresta que ainda pulsa. Um pai muito doente revê a filha. Ressentimentos são postos à mesa. A memória dos hortos, desperta por sangue, objetos, sombras e sonhos, afeta Clarisse nesse cenário de beleza e agonia.
   
O público também poderá conferir os curtas-metragens de Ficção, Animação e Documentário.
   
Tarântula, dos premiados diretores do Paraná Aly Muritiba e Marja Calafange abre o festival dia 16, depois virão as ficções: Esplendidezas, de Santa Catarina; Gritos da Noite, do Amazonas; Ainda não lhe fiz uma canção de amor, do Rio Grande do Norte e Pulso do Rio de Janeiro.
   
Pulso é o filme de estreia de Dani Suzuki como diretora, e revela como Walter tem vivido perdido no seu próprio mundo. Sempre guiado por atitudes impulsivas e agressivas, mergulha numa sequência de erros e acertos dentro de um universo onde a escolha certa é relativa. A trilha musical é de Maria Gadú.
   
As animações: As Aventuras de Chauá, de Minas Gerais; A Festa dos Encantados, de Brasília; Insustentarte; do Goiás; e, Animais, de São Paulo alertam sobre a importância da preservação ambiental, ao passo que, “Mundo de Wander”, do Rio Grande do Sul, conta como Wander, jovem pai de trigêmeos, está pela milionésima vez em uma entrevista de emprego.
   
O Piauí estará bem representado este ano, com dois curtas-documentários: A Ampulheta – Memórias de Areia e Vento, direção de Thiago Furtado, que ajuda a compreender, por meio de história oral, como o avanço das dunas no litoral do Piauí exercem impacto na memória coletiva dos moradores de porto de Tatus, município de Ilha Grande do Piauí, ameaçado pelo soterramento das areias; e, Deixa a Chuva Cair, de Juscelino Ribeiro, que revela como jovens rappers se unem para lutar contra os conflitos de gangues e cantam sobre os problemas de sua comunidade.
   
No entanto, nem só de filmes do Piauí se comporá a Mostra Competitiva de documentários, a história coletiva ou individual de povos e comunidades também poderá ser vista nas películas: Projeto Sertões, do Alagoas; Encontro de Raízes; da Paraíba e Paraná; e, Não Tem só Mandacaru, do Pernambuco.
   
O público também poderá conferir a programação paralela do Piauí Mix, com Vavá Ribeiro e Banda, Soraya Castello Branco, Frank Farias, Rosinha Amorim, Gonzaga Lú e Banda, Maurício e Banda. Sempre no Cineteatro Maria Bonita.
   
E para os que pretendem investir na própria formação, o Encontro dos Sertões oferecerá gratuitamente oficinas, palestras e workshop, de 17 a 19 de novembro, com temas: Roteiro Cinematográfico “A Inspiração Vem de Onde?”, ministrante – Rodrigo Murat; “Animação”, ministrante – Jackson Abacatu; “Jogos, Improvisação e Ousadia”, ministrante – Magali Biff. As inscrições já estão abertas das 8h às 14h no Cineteatro Cidade Cenográfica.
   
O 11° Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões será realizado de 16 a 20 de novembro, na cidade de Floriano/PI. É realizado pela Escalet Produções Cinematográficas. Patrocínio das Drogarias Globo, Hotel Rio Parnaíba, São Jorge Supermercado, R. Damásio, Credshop, Sistema de Incentivo Estadual à Cultura/SIEC, Secretaria de Estado de Cultura do Piauí/SECULT, Governo do Estado do Piauí, Banco do Nordeste/BNB, Lei Rouanet de Incentivo à Cultura, Governo Federal.
   
Serviços:

www.cinemadossertoes.com
escaletproducoes@yahoo.com.br
(89) 99419 1989
Cineteatro Cidade Cenográfica
Rodovia PI 05, 2747
Bairro: Santa Rita
Floriano/PI

MAIS FOTOS (Clique na foto para ampliar):

PARCEIROS

































Cultura Viva ao Alcance de Todos





  MURAL DE RECADOS:
17/03/2014 às 06:44 h
João Reis: Muito bom esse concurso!
15/03/2013 às 19:40 h
Carlos: Gyselle com certeza vai arrasar!
02/03/2013 às 06:26 h
Rafaell : Gospel Mix de Volta
02/03/2013 às 06:25 h
Magali: Cada os Dj's Xandão e Momo aonde eles se encontram??
02/03/2013 às 06:24 h
fernando: Gospel Mix de volta
Págs.: 1 2  3 

  Deixe seu recado: