[ História ]

Fundado em 1987 por jovens florianenses, o grupo Escândalo Legalizado de Teatro/ESCALET tem uma trajetória de 32 anos de serviços prestados à comunidade piauiense, seja participando de festivais e mostras de teatro, seja desenvolvendo atividades socioculturais.

Em 1992, sob a direção de cena da Atriz Lorena Campelo, o grupo estreou o seu primeiro espetáculo na capital teresinense "A árvore dos mamulengos", de autoria de Vital Santos, e, em 1996, com o espetáculo "Divina Comédia Humana", César Crispim foi escolhido como ator revelação na XIV Mostra de Teatro do Piauí.

Com muita persistência o grupo vem conquistando seu espaço no cenário artístico piauiense, pois é o grupo que está a mais tempo em cena de forma ininterrupta no interior do estado. Tendo participado de festivais de teatro nos estados do Paraná, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, São Paulo e Piauí. Suas principais montagens foram: A Árvore dos Mamulengos, O Circo do seu Bolacha, A Menina e o Boizinho, A Bruxinha que era Boa, O Castelo Ra-tim-bum, O Mágico de Oz, Os Fiéis, Quem Tem Medo da Solidão, A Mais Forte, Desperte Qualidade, Paixão de Cristo, Auto de Natal, São Francisco, Porque Contamos Estórias, Pluft, O Fantasminha, Quanto Homens Jovens com muita Experiência. 

Destacando-se no desenvolvimento de atividades sociais, trabalha a criança e o adolescente por meio da cultura, mantendo-os fora da zona de risco e promovendo o crescimento da cultura piauiense de modo ativo e permanente.

Estima-se que mais de dois milhões de espectadores já assistiram as apresentações do grupo ao longo desses anos, em cincos estados e 63 cidades.

Recebeu, em 2001 e 2002, a Comenda de Mérito Cultural do Governo do Estado do Piauí pelo excelente desempenho junto à cultura e, da Federação de Teatro de Minas Gerais, pelo auxilio no desenvolvimento da cultura pelos espetáculos ali apresentados. No Estado do Paraná o grupo foi escolhido como a melhor linguagem cênica do Brasil. Na XIV Mostra de Teatro do Piauí/1996, César Crispim foi escolhido ator revelação; No I Festival Nordestino de Teatro/2001 o espetáculo "A bruxinha que era boa", texto de Maria Clara Machado, foi premiado como melhor direção, ator, ator revelação, atriz coadjuvante, atriz revelação, cenário e texto.

Durante a XVII Mostra de Teatro do Piauí/2002 receberam a indicação de melhor texto, atriz coadjuvante e cenário, com o espetáculo "Quem Tem Medo da solidão". No II Festival Nordestino de Teatro/2002 foi agraciado com: melhor atriz, atriz coadjuvante, cenário, espetáculo, também com o espetáculo "Quem Tem Medo da solidão”. No XIII Concurso Nacional de Monologo "Ana Maria Rego"/2005 recebeu o prêmio de melhor sonoplastia, com o espetáculo "A Mais Forte". Em 2008, o espetáculo “A Mais Forte” foi escolhido como melhor espetáculo, atriz coadjuvante, iluminação, direção e proposta cênica, no II Festival de Teatro “Eu sou daqui”.

Em 2017, o grupo recebeu o Troféu Em Cena, na cidade de Teresina, de melhor Cenário, melhor conjunto de Atores e Melhor texto. Em 2018, recebeu os prêmios de Melhor espetáculo, diretor, ator revelação, dramaturgo e cenário, em ambos os anos foi agraciado pelo espetáculo Quanto Homens Jovens com muita Experiência, Creia! 

Em 2019, está previsto a apresentação do espetáculo Paixão de Cristo, nos dias 19 e 20 de 2019, no Teatro Cidade Cenográfica, às 20h, com entrada franca.

Texto Cesar Crispim

 

Módulos